“Extinção do Fiesporte, não. O que precisamos é uma adequação da lei”


Novo Secretário de Esportes de Caxias do Sul, Paulo Gedoz de Carvalho vislumbra melhores condições para o Fiesporte em 2018

O novo Secretário Municipal de esportes, Paulo Eugênio Gedoz de Carvalho, 64 anos, é um homem simples, sincero, franco, meticuloso, aberto ao diálogo. Ao assumir a titularidade de uma das secretarias mais abrangentes da Prefeitura Municipal de Caxias do Sul, tem consciência das responsabilidades que assume, ainda mais que, na opinião de muitos, “pegou um grande abacaxi para descascar”. Uma referência direta ao Fiesporte, o Financiamento Municipal de Desenvolvimento do Esporte e Lazer, que a princípio havia aprovado 103 projetos de financiamento a entidades e atletas, individualmente, mas apenas 28 projetos foram contemplados por estarem atendendo a legislação. Formado em Educação Física com especialização em esportes, ex-coordenador desportivo da 4ª Coordenadoria Regional de Educação, também técnico de equipes de atletismo, handebol e natação, além de professor e coordenador do Curso de Educação Física da UCS, e ainda diretor do Centro de Ciências Biológicas, Paulo Carvalho foi “sacado” de sua aposentadoria pelo prefeito Daniel Guerra para tentar resolver impasses do Fiesporte e também cuidar das variadas atribuições que a Secretaria envolve. Na última quarta-feira, o novo titular da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer falou ao Visão Esportiva, acompanhado de dois assessores, os professores Alexandre Silvestrin e Denise Cemin Dani. O Secretário foi reticente em algumas respostas, mas objetivo na maioria. Assunto único da entrevista, é claro, o Fiesporte.

Visão Esportiva – Os 28 projetos contemplados vão receber mesmo a verba aprovada pelo Fiesporte?

Paulo Carvalho – Sim, alguns projetos até já receberam a verba e outros receberão dentro de alguns dias. Há um ou outro caso a ser resolvido, mas no geral a liberação dos recursos será feita.

Visão Esportiva – Há um temor entre os desportistas caxienses de que, tudo o que ocorreu este ano, é um prenúncio da extinção do Fiesporte no ano que vem...

Paulo Carvalho - Não, o Fiesporte não será extinto. O que deve acontecer é um aprimoramento do Fiesporte. Inclusive realizaremos um Fórum para discutirmos o Fiesporte com a comunidade caxiense. Extinção não, mas o que faremos é uma adequação da lei.

Visão Esportiva – Pode ter havido, é verdade, desleixos, atrasos em documentação, estas coisas, por parte dos usuários do Fiesporte. Mas o Fiesporte também não tem sido às vezes arrogante com pequenas ocorrências, pecando até por exageros, intransigências no acerto de contas?

Paulo Carvalho – Tudo que se cobra em prestações de contas é uma obrigação que inclui prazos e legislação, quando se trata de dinheiro público.

Visão Esportiva – Cabe ações na Justiça de entidades/atletas prejudicados pela não liberação da verba do Fiesporte?

Paulo Carvalho – Todo o cidadão brasileiro, toda a entidade, têm o direito de cobrar na Justiça algo que lhe pareça justo. Não somos contrários a qualquer atitude nesse sentido.

Visão Esportiva – Para concluir, a pergunta que muitos fazem em relação ao “bloqueio” de verbas que seriam distribuídas aos demais projetos do Fiesporte: para onde vai este dinheiro?

Paulo Carvalho – A verba não utilizada retorna para o caixa único da Prefeitura Municipal.

Posts Recentes

© 2016 por Alan Diego Mendes